google73ad87979f994b5b.html

JAPAMALA 128 CONTAS DE MADEIRA, AVERMELHADA

Código: J9083
3x de R$ 12,33
R$ 37,00
ou R$ 35,52 via Boleto Bancário
Comprar Estoque: Disponível
    • 1x de R$ 37,00 sem juros
    • 2x de R$ 18,50 sem juros
    • 3x de R$ 12,33 sem juros
  • R$ 35,52 Boleto Bancário
* Este prazo de entrega está considerando a disponibilidade do produto + prazo de entrega.

Japamala com 128 contas e separadores a cada 27 contas. Contas de madeira e fio elástico. O japamala é um cordão feito de contas, usado como auxiliar na prática da meditação. No yoga e no hinduísmo, possui em geral 108 contas ou suas metades com 54 ou 27 contas. Em algumas linhas do budismo, possui ainda 3 marcadores, totalizando 111 contas. O nome japamala é masculino ("o" japamala), tem origem no sânscrito e é uma palavra composta: japa é o ato de sussurrar ou murmurar repetidamente mantras ou nomes de divindades e mālā significa guirlanda ou coroa. É um objeto antigo de devoção espiritual, conhecido também como rosário de orações no ocidente, utilizado como marcador. Assim, o praticante consegue focar na entonação e no poder do mantra em si, ao invés de se preocupar com a contagem. O “meru” é a conta central que marca o início e o fim do mala e não forma parte do conjunto de 108, 54 ou 27 contas. Segundo a filosofia yogui, ao se completar o circuito de 108 repetições da oração, mentalização ou mantra, alcança-se um estágio superior na consciência chamado de transcendental, estágio que ultrapassa as fixações da mente, mantendo a consciência concentrada em si mesma. A meditação com o uso do japamala, assim como a prática de mantras, tem sido usada por séculos como ferramenta poderosa para acalmar, centrar, curar e colaborar na evolução espiritual. Segundo as tradições hindu e budista, o número 108 é muito auspicioso e a meditação usando japamala pode ser uma ferramenta para se alcançar andares mais elevados na evolução espiritual. No uso, o japamala se segura com uma das mãos, apoiando-o no dedo médio, e usando o polegar para puxar sucessivamente cada uma das 108 contas. Cada vez que o mantra ou o nome da divindade é mentalizado ou pronunciado, puxa-se uma conta. O dedo indicador não deve tocar as contas, pois representa o ego e está associado ao pensamento - e o objetivo da meditação é justamente o de suspender a ação do pensamento. O meru não deve ser contado como as demais 108 contas, porque é representação de Brahman, do absoluto, do aspecto eterno e imutável e por isso está fora da roda do samsara, entretanto é o meru que marca o início e o final do ciclo do japamala. Terminando a passagem pelas 108 contas, caso o praticante queira continuar e fazer mais uma volta, não deve passar por cima do meru; em vez disso, deve virar o cordão e continuar a fazer o japa na direção inversa.

Produtos relacionados

3x de R$ 12,33
R$ 37,00
ou R$ 35,52 via Boleto Bancário
Comprar Estoque: Disponível
Sobre a loja

O Arati Bazar eleva à dimensão da mitologia arquetípica. A maioria das peças decorativas materializa o mundo dos mitos, lendas e contos de fadas que permeiam nossa realidade psíquica. A literatura é voltada às linhas de psicologia, terapias, ciências exotéricas e esotéricas, gnosticismo, filosofias, espiritualismo e muito mais. . .

Pague com
  • Pagar.me V2
Selos
  • Site Seguro

Arati Bazar Comércio, Manufatura e Serviços, Ltda. - CNPJ: 26.756.090/0001-39 © Todos os direitos reservados. 2020